Justa homenagem a Pinto Bastos.


1 de Outubro de 2005 pelas 19h, no Restaurante Nacional (sala do rés-do-chão), em Coimbra


"Um muro de pedra deixa de o ser quando um homem olha e desenha nele uma catedral."

Pinto Bastos desenhou catedrais em todos os sítios por onde passou e em todos os muros que olhou. A sua marca indelével perdura em tudo aquilo que ajudou construir fiel a uma cidadania exemplar em que a ética da solidariedade esteve sempre presente.

A República do Direito é também obra sua desde o primeiro momento e, na galeria da sua vida figura, ao lado de acontecimentos tão importantes como a Casa do Juiz, a Colectânea de Jurisprudência, ou a Académica.

Magistrado exemplar foi modelo para sucessivas gerações de juízes que nele se reviam como paradigma. A sua cidadania militante e o reconhecimento da sua integridade e prestígio foram reconhecidos nas missões que desempenhou.

Acima de tudo lembra-nos o sorriso benevolente do Amigo de todas as ocasiões.

Pinto Bastos ficará sempre connosco.

Conselheiro José António Santos Cabral - Presidente da Assembleia Geral